top of page
  • Foto do escritorRenata Veríssimo

Sobre o "milagre" da conquista por uma entrevista de emprego.

Atualizado: 23 de abr.




Em conversas informais, como em festas de aniversário, no trabalho, dentro de casa ou mesmo no ponto de ônibus, quando o assunto é discriminação e preconceitos para se conseguir um emprego, logo aparecem exemplos. Quem nunca ouviu histórias de alguém que precisou esconder uma tatuagem ou até voltar a cor de nascença do cabelo para não sofrer preconceitos de aparência? Portas fechadas são bem comuns quando a prática dos vieses inconscientes em contratações fala mais alto. E os profissionais diversos estão no topo da lista dos excluídos do processo de seleção no mercado de trabalho.


Lógico que tem narrativas com profundidades em #preconceitosestruturais, como os que vivem muitas das pessoas pretas ou pardas, ou os da comunidade LGBTQIA+, ou ainda, as pessoas com deficiência (PCD). Mas há muitas espalhadas pelo mundo. Então, já vou avisando que estamos longe de vivermos em uma realidade brasileira mais resiliente em curto tempo.


Contudo, devemos nos esforçar para mudar o rumo da prosa. Experimente, após ler este artigo, fazer uma busca rápida sobre preconceitos que impedem as pessoas de serem entrevistadas em processo de Recrutamento e Seleção. Inúmeras fontes, informações e balanços. A quantidade de pesquisas sobre os temas relacionados à DE&I (Diversidade, Equidade e Inclusão) ainda é pequena para o universo de problemas que os viéses inconscientes causam no processo de recrutamento e seleção.


Em uma busca rápida pelo mundo digital conseguimos garimpar alguns exemplos, como o do movimento Potências Pretas que realizou pesquisa em 2022, na qual 63% das entrevistadas sofreram preconceitos no processo de recrutamento e seleção. Com certeza as mudanças de lá para cá, se houveram, são ainda imperceptíveis. Consultorias de RH e portais de emprego também fizeram pesquisas sobre preconceitos nos últimos anos, cada uma com um recorte para alguma característica de diversidade. Somos seres holísticos e devemos considerar esforços integradores e não excludentes quando falamos de diversidade. A inclusão por diversidade poderá mudar significativamente a maneira com que conduzimos nossos negócios.


O Instituto Data Folha divulgou um pouco antes da Pandemia pesquisa em que 30% dos entrevistados disseram ter sofrido algum preconceito no processo seletivo por conta de sua classe social. Mas, não parou por aí: Há também preconceitos em relação ao local de moradia (28%); à religião (26%); ao gênero (24%); à cor ou raça (22%) ou à orientação sexual (9%). Devemos gerar impactos sociais de verdade, contratando as pessoas por suas habilidades técnicas e comportamentais. Todas as demais características do perfil que compõe um profissional deveriam realmente ser irrelevantes, não é?


O esforço pela transformação é de todos!


Vamos fazer um combinado rapidinho? Observe suas próprias atitudes e também as ações das pessoas ao seu redor e, se perceber algum viés inconsciente, tente desenvolver para si próprio uma nova maneira de pensar sobre as diferenças que representamos na sociedade.


 

Glossário:

Vieses Inconscientes: todos nós temos de alguma maneira. A maioria de nós não percebe em si mesmo e fica mais latente a observação nos outros. Pode ser definido como uma crença ou uma suposição que temos bem dentro de nosso subconsciente. Acaba que, sem perceber, ficamos preconceituosos em alguma momento ou situação. Os mais comuns são vieses em relação ao local de moradia, nome ou origem da pessoa, de aparência, de orientação sexual, de gênero, raça e etnia.

Profissionais Diversos: Diversidade é um conceito que se refere à variedade de características e diferenças existentes entre os seres humanos. São profissionais que atuam no mercado de trabalho e têm diversidades culturais; de raça e etnia; geracionais; de orientação sexual; são Pessoas com Deficiência (PCD) ou neurodivergentes.

Preconceito Estrutural: é um conjunto de práticas institucionais, históricas, culturais e interpessoais dentro de uma sociedade que frequentemente coloca um grupo social ou étnico em uma posição de desigualdade em relação aos demais

DE&I - Diversidade, Equidade e Inclusão: refere-se a práticas e políticas que buscam promover a igualdade de oportunidades, valorizar a diversidade de origens, culturas, gêneros, etnias e habilidades, e garantir a inclusão de todos os indivíduos, independentemente de suas características


Renata Veríssimo é jornalista, fundadora e CEO da @timbre.social


Este é o espaço Reverbera, idealizado pela @timbre.social para as discussões sobre empregabilidade e os novos modelos mentais para recrutamento e seleção, sem vieses inconscientes. Tem uma ideia para abordagens futuras? Manda aqui: contato@timbre.social



66 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Jaqueline Garutti
Jaqueline Garutti
Mar 12

A busca por mudanças é urgente, visando uma maior DE&I. Obrigada pela reflexão!

Like
bottom of page